O valor da energia sobe e a quantidade de água despenca

Foto: Gabriel Jabur / Agência Brasília
Foto: Gabriel Jabur / Agência Brasília

Quando chega o período de escassez, geralmente há aumento nas tarifas de energia. Isto por que a principal fonte de energia no Brasil é a hidrelétrica, com 90% de consumo em relação as demais fontes.

A situação climática do país está em estado de alerta e todos nos sabemos disso. Percebemos essas mudanças pela grande onda de calor que nos assola e a falta de chuva. Há alguns anos, neste mesmo período, haveria chuvas em partes do Brasil.

Como dito anteriormente, a escassez de recursos hídricos gera alta nas taxas de energias pagas pelos consumidores e as indústrias. Na última terça-feira (17/10) a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) autorizou a CEB (Companhia Energética de Brasília) a reajustar o valor das tarifas. Continuar lendo “O valor da energia sobe e a quantidade de água despenca”

Anúncios

Alta no preço do combustível

O combustível volta às nossas conversas do dia-a-dia, e novamente, por um fator negativo, o seu preço que está abusivo. Em grande parte do postos de combustíveis seu valor está acima dos R$ 4,10.

O jornal impresso Correio Braziliense realizou em três períodos distintos levantamentos sobre a alta da gasolina em 27 redes de abastecimento. Em todos, exceto o posto localizado na 115 da Asa Sul, a gasolina está novamente no formato de cartel (preço tabelado em diferentes franquias).

Continuar lendo “Alta no preço do combustível”

O decepcionante desempenho do Congresso Nacional

grafico-negativoA revista Congresso em Foco divulgou um levantamento apontando que apenas 46 parlamentares tiveram alguma lei aprovada em 2015, em números, equivale a 7%. Ao todo o Congresso Nacional possui 640 congressistas, sendo 81 senadores e 513 deputados federais. Isto quer dizer que 594 parlamentares não tiveram nenhuma lei aprovada. Continuar lendo “O decepcionante desempenho do Congresso Nacional”

O “corte da própria carne” não surtiu efeito

índiceEm tempos de crises, por que sacrificar o trabalhador que se locomove ou de ônibus ou com o carro próprio, que acorda cedo e enfrenta transito por várias horas, em detrimento daqueles que recebem um salário excelente e benefícios exorbitantes? Não consigo visualizar sentido moral numa prática como esta.

Faço essa pergunta, pois falou-se muito no decorrer do ano em “cortar da própria carne”, porém, pouco ou nenhum resultado parece estar surtindo efeito. No início do mês de outubro a Presidenta Dilma anunciou as seguintes medidas: Continuar lendo “O “corte da própria carne” não surtiu efeito”

Primeiro ano da gestão Rollemberg é fraco

4gofomun14_3wtsgbkah3_fileApós uma eleição que caiu no colo do atual governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), seu primeiro ano como gestor foi praticamente inerte. O Distrito Federal vivenciou em 2015 algo muito diferente dos últimos anos , principalmente no que se refere a parte econômica.

O Governador começou seu mandato mostrando em números que recebeu “uma herança maldita” do governo anterior, com déficit de R$3,8 milhões e apenas R$64 mil em caixa. Por conta desses valores, Rollemberg parcelou o salário do funcionalismo e suspendeu o de fornecedores. 

Porém, o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) e o Sistema Integrado de Gestão Governamental (SIGGO) desmentem os números afirmando que na virada de 2014 para 2015, o caixa do GDF estava abastecido com R$ 17 milhões e com quase R$ 1,5 bilhão na primeira semana do ano. A Secretaria de Fazenda alega que a maior parte do dinheiro estava vinculado a fundos do governo, o que dificultaria o pagamento dos servidores e dos fornecedores. Continuar lendo “Primeiro ano da gestão Rollemberg é fraco”