O valor da energia sobe e a quantidade de água despenca

Foto: Gabriel Jabur / Agência Brasília
Foto: Gabriel Jabur / Agência Brasília

Quando chega o período de escassez, geralmente há aumento nas tarifas de energia. Isto por que a principal fonte de energia no Brasil é a hidrelétrica, com 90% de consumo em relação as demais fontes.

A situação climática do país está em estado de alerta e todos nos sabemos disso. Percebemos essas mudanças pela grande onda de calor que nos assola e a falta de chuva. Há alguns anos, neste mesmo período, haveria chuvas em partes do Brasil.

Como dito anteriormente, a escassez de recursos hídricos gera alta nas taxas de energias pagas pelos consumidores e as indústrias. Na última terça-feira (17/10) a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) autorizou a CEB (Companhia Energética de Brasília) a reajustar o valor das tarifas. Continuar lendo “O valor da energia sobe e a quantidade de água despenca”

Anúncios

Primeiro ano da gestão Rollemberg é fraco

4gofomun14_3wtsgbkah3_fileApós uma eleição que caiu no colo do atual governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), seu primeiro ano como gestor foi praticamente inerte. O Distrito Federal vivenciou em 2015 algo muito diferente dos últimos anos , principalmente no que se refere a parte econômica.

O Governador começou seu mandato mostrando em números que recebeu “uma herança maldita” do governo anterior, com déficit de R$3,8 milhões e apenas R$64 mil em caixa. Por conta desses valores, Rollemberg parcelou o salário do funcionalismo e suspendeu o de fornecedores. 

Porém, o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) e o Sistema Integrado de Gestão Governamental (SIGGO) desmentem os números afirmando que na virada de 2014 para 2015, o caixa do GDF estava abastecido com R$ 17 milhões e com quase R$ 1,5 bilhão na primeira semana do ano. A Secretaria de Fazenda alega que a maior parte do dinheiro estava vinculado a fundos do governo, o que dificultaria o pagamento dos servidores e dos fornecedores. Continuar lendo “Primeiro ano da gestão Rollemberg é fraco”